Página inicial / Cusco/Valle Sagrado / Como é pegar a van de Ollantaytambo para Cusco

Como é pegar a van de Ollantaytambo para Cusco

Atualizado em março de 2018

Bem, pessoas, este post só eu poderia escrever, porque a outra componente do Mineiros na Estrada estava dormindo no momento dos principais acontecimentos.

A Gê já contou pra vocês do upgrade que a gente ganhou na viagem de trem, quando estávamos retornando de Machu Picchu. Nosso destino final, partindo de Aguas Calientes, era Cusco. A estação de trem de Ollantaytambo fica distante de Cusco cerca de 70 km, uma viagem de carro que deveria durar pouco mais de uma hora e meia. Já já vocês entenderão o porquê da palavra “deveria”.

Descemos do magnífico vagão de trem às 20h40 e voltamos à realidade: corpo suado, cansaço sem fim, vontade imensa de tomar um banho e dormir, mas o que havia para nós, no momento, era a correria para pegar a van. A carruagem de repente virou abóbora. Na saída da estação de trem ficam paradas várias vans e táxis com motoristas abordando os viajantes que querem ir para Cusco, num esquema de oferta bem maior que a demanda, pelo menos no nosso dia foi assim.

Cobraram 10 soles por cabeça e a van não foi lotada. Era uma van simples, mas com certo conforto. Não rolou serviço de bordo, nem TV, nem música, mas ninguém estava dando importância a isso após um dia inteiro em Machu Picchu. Aqui cabe uma ressalva, porque, com quase 1,90 m de altura, quase nunca consigo acomodar as minhas pernas confortavelmente. Eu sempre levo tinta.

Na van, junto com a gente, embarcou um casal que estava no mesmo vagão para ricos, e eles não ganharam upgrade, ou seja, provavelmente eram ricos mesmo. Não me compreendam mal, mas isso causou em mim uma leve sensação de estar utilizando um meio de transporte com certa credibilidade.

Sentamos na poltrona que fica atrás do motorista. A Gê, que costuma passar mal de carro quando viaja de carro/ônibus, tratou de tomar o Dramin e apagou. Por motivos de força maior, acabei ficando acordado, mesmo estando acabado depois do longo dia em Machu Picchu.

Logo no início do trajeto, leves pontadas de tensão. Coisa de mineiro desconfiado, eu sei. Mas quando o motorista e a cobradora começaram a conversar em quéchua (uma das línguas nativas do Peru), e eu não conseguia entender absolutamente nada, comecei a viajar na maionese: e se eles fizerem parte de uma organização de tráfico internacional de órgãos? Fiquei pensando em como seria acordar no dia seguinte deitado em uma banheira cheia de gelo e sem os rins (Alguém conhece essa história?).

Está gostando do blog? Então, curta nossa página no Facebook!

Mas aí o meu pensamento foi interrompido por um barulho: um pigarro longo, barulhento e esquisito. Sem explicação, eu não consigo imitar. Era muito estranho. Com o passar da viagem, percebi que o pigarro era também uma espécie de tique, repetido em intervalos de tempo iguais. Era um a cada dois minutos, mais ou menos – sim eu contei, era o que tinha para fazer na van escura.

Consegue imaginar uma viagem de duas horas e meia (não sei por que, embarcamos às 21h em Ollanta e chegamos a Cusco, na Plaza San Francisco, às 23h30, ou seja, a viagem durou uma hora a mais que o previsto) nessas condições? Foram aproximadamente 90 pigarros. Foram 90 tentativas de cochilar, foram 90 sustos, foram 90 vontades repentinas de querer ter um tampão de ouvido. Umas 30 vontades de gritar e xingar o dono dos pigarros alienígenas. Só que o pigarrento era o motorista da van, aquele que supostamente ia vender meus rins. Só se eu fosse louco para importuná-lo.

Ah, e mesmo que os pigarros não existissem (ou eu fosse surdo), não ia poder dormir, porque a van balançava muito e eu precisava cuidar da Gê, que estava dormindo, babando e se jogando de um lado para o outro.

sono

Já deu pra ver que a viagem incrível de trem foi um pouco ofuscada com a experiência dessa viagem de van, né? Mas vejamos o lado bom, ninguém roubou os meus rins e a van não estragou, nem furou pneu. Pelo menos chegamos ao destino inteiros. Aí foi só chegar ao hotel, tomar banho e dormir.

Vai para o Peru? Não deixe de contratar Seguro Viagem. Comprando com a Seguros Promo você tem 5% de desconto usando o cupom MINEIROS5.

E de Cusco para Ollantaytambo?

Há vans que saem de Cusco, de hora em hora, a partir das 8h. O ponto de partida é a Calle Pavitos. Custa 10 soles. Quem fez esse trajeto foi a Gabi, do blog Estrangeira.


Leia também:

Tudo o que você precisa saber para organizar uma viagem para Machu Picchu

Mal de altitude – quase inevitável, mas dá para aliviar

Roteiro de 8 dias: Cusco, Vale Sagrado e Machu Picchu

Peru: Como é viajar na Inca Rail – de executiva e primeira classes

Índice de posts sobre o Peru


Gostou? Salve no Pinterest e consulte sempre que quiser:

Como pegar a van de Ollantaytambo para Cusco, após vinda de Águas Calientes e como foi a nossa, digamos, pigarrenta viagem.ar

Compartilhe com seus amigos
Receba as novidades do blog no seu e-mail:  
Programando sua viagem?
Utilize nossos parceiros. Você não paga nada a mais por isso, mas a gente ganha uma pequena comissão. Se o blog te ajudou de alguma forma, é uma maneira de nos ajudar a mantê-lo.

Reserve hotéis no Booking: A maioria das acomodações não pede pré-pagamento e permite cancelamento gratuito.
Alugue um carro na Rentcars: Cote em dezenas de locadoras, parcele em até 12 vezes e pague em reais, mesmo para aluguel no exterior.
Compre Seguro Viagem com a Seguros Promo:  Compare preços e planos em mais de 10 seguradoras. Viaje com assistência médica e odontológica, seguro bagagem e atendimento 24h! Usando o código MINEIROS5 você tem 5% de desconto!
Compre ingressos e passeios com um de nossos parceiros: Tiqets  ou Get Your Guide.   Fuja da fila já chegando com seu ingresso na mão!
 

35 comentários em “Como é pegar a van de Ollantaytambo para Cusco

  1. Boa noite ! Estou indo ao peru em setembro e comprei um passeio pelo vale sagrado que sai de Cusco e vai me deixar em Ollanta. De Ollanta preciso seguir de onibus ou van para Aguas Calientes, sabe me dizer se tem van e oinibus com frequencia para Aguas Calientes ?

  2. Oi pessoal, adorei o relato e já gostei da idéia de pegar o último trem de Machu Picchu lá pelas 20hs e tal e chegar perto das 22 hs em Ollantaytambo. Minha preocupação é se encontrarei condução para Cusco a essa hora, mas a Gê disse que ficam até o último trem e isso me animou, obrigada.

  3. Boa noite galera,
    Estou indo para o Peru dia 28/03, não comprei a passagem de trem ainda, estou receosa por ter MUITOOOO medo de motoristas estilo “loucos” kkkk…. até quando viajo com meu marido (em quem confio) passo perrengue, então a pergunta que não quer calar: EXISTEM CURVAS SINUOSAS, PRECIPÍCIOS E AFINS na estrada entre Ollanta e Cusco? Pretendo pegar o trem entre Aguas Calientes e Ollanta das 13:43 mas estou com medo da Van :). Alguém poderia me responder aí? Só não vale a Ge pq ela dormiu o tempo todo rsrsrs…. abraços.

    • Oi, Claudia! A estrada tem, sim, algumas curvas, mas as condições do asfalto são boas. Como viajamos de van à noite, não visualizei precipícios, mas eles certamente existem. Contudo, como eu disse, as condições da estrada são boas. Então, relaxe, vá de van e aproveite bastante!

      • Guto obrigada pela resposta. Eu tive coragem e fui 🙂 . Fui durante o dia e a estrada É LINDAAAA!!! Com algumas curvas sinuosas sim do jeito que vc falou, contudo, a vista das montanhas nevadas recompensou grandemente. Gente, COMO O PERU É LINDOOOO!!! Cheguei antes de ontem e já quero voltar. Obrigada por todas as dicas, vcs explicam com muita fidelidade. Grande beijo p todos.

        • Que relato legal, Cláudia! Ficamos felizes que tudo deu certo e que nossas dicas foram válidas. Quando fomos de Cusco para Ollanta, foi durante o dia. Aí, realmente, a gente aproveitou muito o caminho, vibramos com várias paisagens belíssimas, foi emocionante! Grande abraço!

  4. Pingback: Viagem ao Peru - dias 7 e 8: Cusco - Mineiros na Estrada

  5. Olá Guto e Gê!
    Excelente e cômico relato! hahahaha!
    Sabem dizer de Vans fazendo o trajeto inverso? (Cusco x Ollantaytambo)
    Pretende me hospedar em Cusco e gostaria de chegar ao Machu Picchu a tempo de subir a Montanha Machu Picchu (9h à 10H), sendo a única opção de trem p/ chegar a tempo seria os que partem de Ollantaytambo entre 5h e 6h da manhã.
    Sabem dizer se há serviços de Van em Cusco p/ chegar em Ollantaytambo tão cedo?
    Thanks!

      • Cogitei sim Gê, mas como estou meio apertado em tempo (tipo, chego em Cusco na sexta-feira ao meio-dia e subo o Machu Picchu no sábado) não teria trens em horário disponível p/ ir até Aguas Calientes ainda na sexta. =/
        Mas dei uma pesquisa acerca das Vans e, pelo que vi, tem Vans saindo de Cusco p/ Ollantaytambo com frequência, então acho que vou tentar essa opção, dormir a 1ª noite em Ollantaytambo e pegar o trem que parte de lá às 5h05 p/ Aguas Calientes no dia seguinte. Daí conseguiria chegar ao parque até umas 7h30, no mais tardar!
        E na volta farei o mesmo trajeto que vocês.
        Obrigadão!

    • Olá. Muito bom este relato dos mineiros GG, Guto e Ge. Mas pretendo fazer como você, Fernando, ir de Cusco para Ollanta a noite de van. Pouca grana e muita coragem!!! Sabe se tem van a noite? Como foi sua experiência?

  6. Queria saber se você sabe me informar, que horas que para de passar a van em Ollantaytambo, porque eu iria chegar em Ollantaytambo em volta das 19 horas e queria saber se ainda teria van para cusco. Vou pegar o trem de Machu Pichu para Ollantaytambo, pois o outro trem de cusco para machu está em um preço absurdo. Então queria saber se você sabe até que hora passa van em Ollantaytambo?

  7. Oi Guto e Gê, vou para Cusco em dezembro e achei interessante esse esquema de vans, bem mais barato que os trens né?!

    Existem vans que vão de aguas calientes a Cusco direto? (sem ter que ir para Ollantaytambo?)

  8. Pingback: Tudo o que você precisa saber para organizar uma viagem para Machu Picchu » Mineiros na estrada

  9. Pingback: Peru: Como é viajar na Inca Rail - de executiva e primeira classes » Mineiros na estrada

  10. Também fomos e voltamos de van de e para Cusco. Nos dois casos as vans eram razoavelmente confortáveis e novas. Gostei mais da ida, pois fomos no último banco, que além de mais alto, traz um pouco mais de “conforto”. Na volta, fomos atrás do motorista; achei ruim.
    A volta foi um périplo, o motorista atrasou demais para sair, pois só saem com as vans cheias, ou quase, e isso nos atrasou (o trem também atrasou, porque teve que parar algumas vezes).
    Não entendi por que o retorno de vocês durou mais de duas horas. Ele deve ter ido mais devagar que o normal, por ser noite e por estar conversando.
    Quanto aos pigarros, devem ter sido altamente irritantes. Que horror!
    Puxa, Gê, pelo relato do seu marido, você pelo jeito é como minha prima, que capota nas viagens, independente das condições. rs
    Tivemos que pegar um ônibus à noite, e ela dormia a sono solto e profundo, enquanto eu me descabelava com o motorista descendo a mais de 100km/h nas curvas, e com neblina. Até me levantei para reclamar com o atendente, uma espécie de “comissário de ônibus”, mas ele não fez nada. Só disse que ia falar com o motorista, mas não falou. Talvez por medo, sei lá. Só sei que foi horrível. Pegar transporte terrestre no Peru não é para pessoas que têm amor à vida.
    Por falar nisso, achei o transporte lá bem barato (com exceção do trem, que achei extorsivo), mas o resto pesou bastante para mim. Não achei o Peru nada barato, mas isso é assunto para outro post. =D

    • Que aperto! Motorista correndo nas curvas à noite! Socorro!
      Eu só capoto mesmo quando eu tomo Dramin. Aí o mundo pode cair que eu nem sinto! hahaha

      • Hahaha, Gê, eu tenho cada vez mais dificuldade para dormir, seja em avião, carrou ou trem. Em avião até que durmo, se a viagem for noturna e eu estiver com muito sono, mas em viagem por terra, fico “cuidando” da estrada. aff
        Só tomei Dramin uma vez no avião, e na viagem de Cusco a Ollanta, mas não me ajudou a dormir… Acho que preciso aumentar a dose na próxima vez. rs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Theme developed by TouchSize - Premium WordPress Themes and Websites

Assine nossa newsletter

Receba um e-mail mensal com a relação dos posts publicados no mês e outras novidades!
Seu Email
Secure and Spam free...
"Customized Theme" by: AZEVEDO.MEDIA