Página inicial / América do Sul / Tudo o que você precisa saber para organizar uma viagem para Machu Picchu

Tudo o que você precisa saber para organizar uma viagem para Machu Picchu

como ir a machu picchu (7)

Conhecer Machu Picchu é sonho de muita gente. Não é uma viagem muito simples, pois não basta pegar um avião e comprar um ingresso de parque. Pelo contrário, exige muita organização e planejamento.

Você provavelmente está na fase de pesquisa para preparar sua viagem para a cidadela inca, portanto, separamos algumas dicas para que você possa aproveitar melhor seu passeio. Não são verdades absolutas, obviamente, são apenas sugestões com base na nossa experiência.

Sugiro que você leia também todos os nossos posts sobre a viagem que fizemos.

Leia também: Viagem ao Peru: dias 1 e 2 – Cusco

Viagem ao Peru: dia 3 – Qorikancha e Vale Sagrado (Sacsayhuaman, Qenqo, Pukapukara, Tambomachay, Pisaq)

Viagem ao Peru: dia 4 – Tour pelo Vale Sagrado (Tipón, Pikillaqta, Rumicolca Andahuaylillas, Huaro, Urcos)

Viagem ao Peru: dia 5 – Vale Sagrado (Chinchero, Maras, Moray, Ollantaytambo)

como ir a machu picchu (5)

Onde fica Machu Picchu?

Machu Picchu fica no distrito de mesmo nome, que fica na Província de Urubamba, que pertence ao Departamento de Cusco. A cidade com aeroporto mais próximo é Cusco, que também é a capital da região de Cusco. Complicado? Fica a 170 quilômetros da cidade de Cusco.

Como chegar a Machu Picchu

O primeiro passo é chegar a Cusco, cidade que fica a cerca de 170 quilômetros de Águas Calientes. Não há voos diretos partindo do Brasil, então é preciso fazer conexão em Lima. De Lima para Cusco também dá para ir de ônibus, mas a viagem dura 24 horas.

Águas Calientes é o povoado aos pés da montanha onde está Machu Picchu e é ele que serve de base para quem quer visitar o sítio arqueológico. Também é conhecido como Machu Picchu Pueblo.

machu picchu pueblo

De Cusco até Águas Calientes só se chega de duas maneiras: a pé ou de trem. A primeira maneira é por meio de  trilhas, como a Inca e a Salkantay, sendo necessário contratar guias especializados. O percurso dura de quatro a cinco dias. A segunda maneira, que foi a que nós utilizamos, é de trem, que pode sair da estação de Poroy, a 30 minutos de Cusco, ou de Ollantaytambo, cerca de 1h40 de Cusco. Já descrevemos tudo neste post aqui.

Uma vez que você está em Águas Calientes, precisa escolher a maneira para chegar até Machu Picchu, que pode ser de ônibus ou a pé. Dê ônibus, custa 12 dólares o trecho (pode pagar em soles, mas a cotação é bem ruim), valor de maio de 2016. Somente ônibus autorizados podem subir a montanha, em um trajeto que dura pouco menos de 30 minutos. A pé é de graça, mas a subida demora cerca de 90 minutos. Se você não está com o preparo físico em dia, deixe de ser pão-duro e compre a passagem de ônibus. 😉 Lá no parque você vai andar um bocado e não vale a pena gastar as energias na subida e já chegar lá em cima cansadão. É possível comprar apenas um trecho de ônibus e fazer o outro a pé. Vou explicar melhor abaixo.

Resumindo:
Do Brasil para Lima → avião
De Lima para Cusco → avião (70 minutos) ou ônibus (24 horas)De Cusco para Águas Calientes → trem (3h30) ou a pé (4 ou 5 dias)
De Águas Calientes para Machu Picchu → ônibus (25 minutos) ou a pé (90 minut0s)

Melhor época para ir a Machu Picchu

Basicamente, há dois períodos em Machu Picchu: verão chuvoso, de novembro a março, e inverno seco, de maio a setembro. Portanto, a melhor época é de maio a setembro. Dentro desse último período, julho e agosto são os considerados de alta temporada, pois além de férias no Brasil, são também férias nos Estados Unidos e Europa.

Janeiro e fevereiro são os meses que mais chovem e já houve vezes em que inundações impediram o acesso à cidadela. Se essa for absolutamente a única época em que você pode viajar, vá com isso em mente.

Abril e outubro são uma loteria. Pode chover ou não.

Compra da passagem de ônibus

Há uma bilheteria em frente ao ponto de ônibus. Para comprar a passagem, é necessário apresentar o passaporte (ou o documento que você utilizou para comprar o ingresso para Machu Picchu). Quando verificam eletronicamente o passaporte, já saem os dados do ingresso para o parque. Como só compra o bilhete do ônibus quem já tem o do parque, leve este último com você, caso dê algum problema, ou caso você tenha comprado o ingresso com seu RG.

Ponto de ônibus

Ponto de ônibus

Você pode comprar ida e volta, ou apenas um trecho. No ponto de ônibus na porta do parque há outra bilheteria. Assim, caso você esteja com vontade de descer a pé (ou precise economizar), você pode comprar só a ida. Se após o passeio por Machu Picchu você notar que suas forças se esvaíram e que não vai rolar descer andando, você compra a volta.

Machu Picchu ao fundo. Note a estrada em zigue-zague.

Machu Picchu ao fundo. Note a estrada em zigue-zague.

Outra coisa: caso você pernoite em Águas Calientes, já compre as passagens no dia da chegada ao povoado, para não perder tempo no grande dia.

Bilheteria

Bilheteria

Compra dos ingressos para Machu Picchu

Como os ingressos são limitados, o recomendado é comprar com antecedência pela internet, pelo site www.machupicchu.gob.pe. Somente 2500 visitantes são permitidos por dia em Machu Picchu. Dentro do parque, há duas montanhas escaláveis, com ingresso à parte. Uma é Huaynapicchu e outra é Machu Picchu, que é chamada apenas de Montanha, acho que para não confundir com o parque.

como ir a machu picchu (6)

Para quem quer subir a montanha Huaynapicchu, são apenas 400 ingressos diários, em dois grupos de 200, um com entrada de 7h às 8h, outro com entrada de 10h às 11h. O ingresso a ser comprado é o Machu Picchu + Huaynapicchu, escolhendo o horário de sua preferência.

Quem quer subir a montanha chamada Machu Picchu deve comprar o ingresso Machu Picchu + montanha. Para essa opção são vendidos 800 ingressos, em dois grupos de 400: o primeiro com entrada de 7h às 8h e o segundo com entrada de 9h às 10h.

Em qualquer uma dessa montanhas, o horário marcado é para começar a subir a montanha, não para entrar no parque.

É possível ver a disponibilidade de cada tipo de ingresso no site oficial. É só escolher o ingresso e a data, na coluna à esquerda.

O único problema é que para comprar pela internet tem que ter um cartão de crédito bandeira Visa, que seja internacional e use a tecnologia Verified by Visa.

Nossa ideia inicial era comprar Machu Picchu + Huaynapicchu. Porém, quando nós marcamos a nossa viagem, com quase 90 dias de antecedência, já não havia mais ingressos disponíveis. Subir a montanha Machu Picchu não era nossa intenção, então compraríamos apenas o ingresso para o parque. Desobedecendo a todas as recomendações, não compramos os ingressos pela internet, deixando para comprar em Cusco. Mas, antes que me apedrejem, deixem-me explicar os motivos. 1 – Nosso cartão de crédito era Master. Teríamos que pedir alguém com Visa para comprar para nós. 2 – A outra opção seria entrar em contato com alguma agência do Peru para que comprassem para nós, mas, claro, eles cobram por esse serviço e isso oneraria ainda mais a viagem. #somospobres 3 – Guto está fazendo mestrado e tem carteirinha de estudante internacional. Para comprar a meia entrada tem que ser pessoalmente ou por agência. Pela internet não dá.

Como ainda havia mais de 2000 ingressos disponíveis, nós optamos por ir monitorando até as vésperas da viagem. E assim, todos os dias eu olhava para checar quantos ingressos ainda estavam a venda. Se houvesse alguma redução significativa, colocaríamos a mão no bolso e procuraríamos uma agência, via internet, para comprar para nós. Como até o dia anterior ao nosso embarque ainda havia mais de mil ingressos, deixamos para comprar em Cusco. Vale dizer que nosso dia em Machu Picchu foi uma quinta-feira do mês de maio, ou seja, fora de temporada. E, repito, todo mundo recomenda que se compre o ingresso com antecedência. Mas, como a gente não fez isso, não seria correto omitir essa parte de vocês.

Se você optar por comprar lá no Peru também, por sua conta e risco, o endereço, em Cusco, é Calle Garcilaso s/n. É um escritório do Ministério da Cultura, que funciona no mesmo prédio do Museu Casa Garcilaso.

Se você esquecer de comprar o ingresso em Cusco, sua última chance é lá em Águas Calientes. Porém, não faça isso! Imagina se quando você está lá acontece algum problema e você simplesmente fica sem sua entrada para o motivo maior da sua viagem?

Lembrando que para comprar a passagem de ônibus para subir de Águas Calientes para Machu Picchu é necessário já ter comprado o ingresso do parque.

Sobre a carteirinha de estudante, leia aqui.

como ir a machu picchu (4)

Pernoitar ou não em Águas Calientes

Muita gente pergunta se precisa mesmo dormir em Águas Calientes no dia anterior e se não dá para fazer um bate-volta partindo de Cusco. Olha, até que dá, mas não é lá muito viável, não. Vou explicar. O trem gasta três horas e meia de Poroy, a estação mais próxima a Cusco, até Águas Calientes. Se pegar o trem em Ollantaytambo, a viagem dura 1h40.

Leia também: Peru: Como é viajar na Inca Rail – de executiva e primeira classes

Você vai ter que acordar cedão, ir para a estação (Poroy está a 30 minutos de Cusco), pegar o trem, chegar em Águas Calientes, comprar a passagem do busão, tudo assim, seguidinho. Até que você entra no parque já vai ser umas 10h30 – sol queimando a moleira e toda a galera chegando junta ao parque. Aí você vai andar pra chuchu e vai voltar no trem do fim do dia exausto.

Quase todo mundo que está indo para Cusco pela primeira vez está indo por causa de Machu Picchu. Será que vale mesmo a pena fazer tudo tão corrido?

Indo um dia antes, você sente o clima da cidade à noite. É verdade que o povoado é minúsculo e não tem muito o que fazer, mas a energia é demais! Gente de tudo que é lugar do planeta, todo mundo felizão!

machu picchu

Dormindo em Águas Calientes, você pode pegar os primeiros ônibus e chegar ao parque antes da grande muvuca.

Leia mais: Hospedagem em Águas Calientes: Inka Wonder

E te digo mais. Hoje pensamos que teria sido melhor programar não uma, mas duas noites em Machu Picchu Pueblo. Isso porque andamos muito no parque e, depois de tanto sobe e desce, de tanto suar e de tanto cansar, o que a gente menos queria era encarar outra viagem de trem e ainda uma van para Cusco. A gente hoje teria ficado mais tempo no parque, de bobeira, só contemplando, tomado um banho quentinho e dormido por lá para repor as energias. Aí teríamos pegado o trem da manhã de volta para Cusco. Mas sei que isso é mais difícil, porque geralmente as pessoas viajam com dias contadinhos.

Chegue cedo ao parque

Complementando a dica anterior, chegando cedo ao parque você o pega mais vazio, tem a chance de ficar mais tempo naquela belezura de lugar e, de quebra, ainda pode ver o sol aparecer atrás das montanhas. Lindo, lindo, lindo!

nascer do sol em machu picchu

Foto do nosso Instagram. Você já segue a gente?

Contratar ou não guia?

Nosso planejamento era ter o nosso momento “Oh!” com Machu Picchu, percorrer o parque mais vazio e depois voltar até a portaria e contratar um dos muitos guias que ficam lá na porta. Só que aí aconteceram duas coisas. Primeiro, depois de andar o parque todo rolou uma preguiça de voltar e andar tudo de novo. Segundo, que depois do intensivão de três dias como nosso guia privado Juan (leia aqui, aqui e aqui), e de tanto ter estudado sobre Machu Picchu e os incas, nós estávamos conseguindo identificar os espaços que percorríamos. Claro que provavelmente perdemos uma ou outra informação, mas creio que o essencial esteve ok. Um mapinha lá nas informações turísticas de Águas Calientes ajuda também.

Leia também: Como foi nosso tour com guia privado pelo Vale Sagrado

Claro que o ideal mesmo é ir com guia, não tem como dizer o contrário. Os que ficam na porta do parque são credenciados e cobram 70 dólares por um tour básico de duas horas.

como ir a machu picchu (3)

Com que roupa ir

Tênis confortáveis, de preferência de trilhas, com solado antiderrapante. Roupas leves, que permitam liberdade de movimento, já que são muitas escadas para subir. Nada de calça jeans, viu?

No dia em que fomos estava muitíssimo calor. Vimos várias pessoas trocando a camisa. Então, se você tiver roupas esportivas, daquelas que facilitam a transpiração, melhor.

Lá pelas 5h da manhã, na fila do ônibus, fez um friozinho. Mas preferi aguentar bravamente para não ter que carregar moleton o dia inteiro. Machu Picchu é quase Floresta Amazônica – o calor úmido massacra.

O que levar

Ingresso, bilhete do ônibus, passaporte, lanche, água, protetor solar, máquina fotográfica, mapinha. Não há lanchonete e banheiro dentro do parque. Na entrada da Ponte Inca, porém, vendem água mineral. Enquanto em Águas Calientes 1 litro custava quatro soles, em Machu Picchu a garrafa de 625 mL custava 5 soles. Mas, a gente teve que comprar, porque nossos quatro litros de água que levamos na mochila não foram suficientes.

como ir a machu picchu (2)

Que nível de preparo físico preciso ter?

Sedentários conseguirão andar o parque, mas, claro, com dificuldade. O parque é muito grande e tem muitíssimas escadas. Evite levar crianças muito pequenas. Infelizmente, o parque não é acessível para cadeirantes e pessoas com sérias dificuldades de locomoção. Mas vimos várias pessoas com cerca de 70 anos fazendo trilha e tudo o mais.

Vai para o Peru? Não deixe de contratar Seguro Viagem. Comprando com a Seguros Promo você tem 5% de desconto usando o cupom MINEIROS5.

Carimbe seu passaporte

Na saída do parque, passe no posto próximo às roletas para carimbar seu passaporte e ter uma lembrança da sua passagem pelo parque. Nós esquecemos, acreditam? O carimbo é este aqui.

Estrutura

O sentido das trilhas no meio da cidadela é marcado por setas. Guardas ficam de olho e apitam caso alguém comece a percorrer algum caminho inverso.

Como eu já disse, não há banheiro ou lanchonete dentro do parque, mas só na portaria. Na portaria também há guarda-volumes e máquinas de comida. O restaurante do hotel chique Belmond Sanctuary Lodge é aberto ao público.

É permitido sair e entrar mais duas vezes com o ingresso.

É isso! Alguém tem mais dicas? Continue nos acompanhando para ver mais dicas sobre o Peru.

como ir a machu picchu (1)

Compartilhe com seus amigos
Receba as novidades do blog no seu e-mail:  
Programando sua viagem?
Utilize nossos parceiros. Você não paga nada a mais por isso, mas a gente ganha uma pequena comissão. Se o blog te ajudou de alguma forma, é uma maneira de nos ajudar a mantê-lo.

Reserve hotéis no Booking: A maioria das acomodações não pede pré-pagamento e permite cancelamento gratuito.
Alugue um carro na Rentcars: Cote em dezenas de locadoras, parcele em até 12 vezes e pague em reais, mesmo para aluguel no exterior.
Compre Seguro Viagem com a Seguros Promo:  Compare preços e planos em mais de 10 seguradoras. Viaje com assistência médica e odontológica, seguro bagagem e atendimento 24h! Usando o código MINEIROS5 você tem 5% de desconto!
Compre ingressos e passeios com um de nossos parceiros: Tiqets  ou Get Your Guide.   Fuja da fila já chegando com seu ingresso na mão!
 

38 comentários em “Tudo o que você precisa saber para organizar uma viagem para Machu Picchu

  1. Olá gostaria de saber quando custou a viagem!? Percebi que vcs foram sem agência . Quanto na época ficou!?? Uma agência daqui está pedindo 7 mil pra mim vale!?
    Eu acredito que eles cuidam de tudo! Amei seu texto me inspirou ainda mais em ir!

    • Oi, Caren.
      Foi uns 3,5 mil por pessoa (já faz tempo, não me lembro bem), com o guia privado incluso. Lembrando que fomos em 2016, compramos uma passagem promocional e ficamos em hospedagens simples.
      Muito obrigada pela visita e comentário.
      Você vai amar essa viagem!

  2. Ola, tenho dúvidas ainda sobre a mala. Gostaria de fazer o trem que para no Vale Sagrado e fim de tarde segue pra Aguas Calientes. Entao fiquei sem entender onde deixo minha mala pra conhecer o Vale e depois pego pra embarcar pra Aguas.

    • Olá, Carol. A Peru Rail tem um depósito de bagagem na estação. Já a Inca Rail, não me recordo.
      Você vai de trem de Cusco para Ollanta? Você sabe que tem outras opções mais em conta?
      Abraços!

  3. Oi Gê, parabéns pela organização de seu blog, é maravilhoso!!!
    Estou com algumas dúvidas, e ficarei muito grata se pudesse me ajudar!
    Vamos ao Peru em agosto de 2018, ficar 3 dias em Lima e 4 em Cusco. Já marcamos os hotéis, porém percebi que seria melhor pernoitar em Águas Calientes, mas não são esses nossos planos, pois já pagamos todos os dias em Cusco. O que você me sugere? Pretendemos comprar os ingressos para a tarde, somente para MP. Entrei em contato com uma Agência que o Hotel indicou, mas achei muito caro!!! 300 dólares por pessoa (todos os traslados inclusos e ingresso para MP). Se fizer por conta própria dá certo, pois pelo que vi sai bem mais barato, mas meu receio é de o tempo não ¨fechar redondinho¨ e a gente perder algum transporte. De repente tem alguma outra empresa para me indicar.
    Beijo grande!

  4. Oi, Gê!
    Obrigada pelos posts, estão ajudando MUITO no meu planejamento!
    Estou indo viajar para o Peru com minha família em dezembro deste ano (eu sei, tem o perigo das chuvas, mas, pelo que li, é maior em janeiro/fevereiro e, de todo jeito, é o único momento em que nós 4 estaremos de férias). Queremos fazer a trilha de Huayna Picchu, mas estou com uma dúvida: é melhor fazê-la logo de manhã ou à tarde? De manhã, fico com medo de ficarmos muito cansados para andar o resto da cidade; de tarde, cansados demais para a trilha. Tem alguma dica para nós?

    Beijos!

    • Oi, Juliana.
      Só pode subir de manhã. Ou entre 7h e 8h ou entre 10h e 11h.
      Cansados vocês ficarão de todo jeito, hehehe. Eu iria logo no primeiro horário.

  5. Pingback: Museu Histórico Regional Casa Garcilaso: a História de Cusco

  6. Pingback: Hotel barato em Cusco: Hostal El Triunfo

  7. Oi Gê! Muitíssimo obrigada por todos os seus posts sobre o Peru! Achei tudo genial! Foram muitas dicas maravilhosas, fotos ótimas, textos bem escritos. Parabéns!

  8. Boa tarde
    Pretendo ir em maio 2017

    Por favor, me tire algumas dúvidas:

    O ingresso do parque é valido apenas para um dia ?

    Pretendo sair de SP com destino a Lima, aí não sei se compro passagem aérea de Lima para Cusco ou vou de onibus, como irei sozinha vi num site que a viagem de onibus pode ser legal para fazer amizade até chegar em Cusco. Minha dúvida é: Esses onibus fazem paradas em algum ponto turistico ou vai direto de Lima até Cusco ?

    Outra dúvida quando eu estiver em Cusco vou ter certeza apenas do dia que irei visitar o parque porque pretendo comprar o ingresso antecipado, mas e nos outros dias ? Que cidades próximas posso contratar um receptivo e realizar passeios que saiam de manha e voltem no mesmo dia ? Porque pretendo reservar a hospedagem todos os dias em Cusco, ou voce me sugere outra coisa ?

    Muito obrigada

    • Oi, Fernanda!
      O ingresso é válido para um dia só.
      Olha só, a viagem de avião de Lima a Cusco demora pouco mais de uma hora. A de ônibus dura 24 horas!
      Tem muita coisa para ver nos arredores de Cusco. Nós ficamos lá, contratamos um guia. Sugiro que você leia nosso diário de viagem. Acho que vai te inspirar.

      A lista de posts está aqui.

  9. Pingback: Tour com guia privado pelo Vale Sagrado dos Incas, no Peru

  10. Como consigo o contato do seu guia em Cusco? Estou indo em maio e gostaria de contrata-lo por um dia. Gostaria de fazer um passeio pelo Vale Sagrado e no final do dia pegar o trem de lá mesmo para Aguas Calientes. É possivel?

  11. bom dia Gê! Obrigado por tantas informações importantes, que estão ajudando a organizar minha viagem a MP! Estou vendo o trem para MP. Estou em dúvida entre comprar a saída de Ollantaytambo às 16:36 ou às 19:27. Sei que no último horário ficarei sem ter a vista da viagem, que dizem ser bonita. Mas, por outro lado, fico sem saber se vale a pena essas 3 horas a mais em Ollantaytambo, após o passeio do Vale Sagrado. Vc sabe se tem guarda-volume na estação de Ollantaytambo para deixar as malas durante esse tempo? Eu vi que vc pegou o horário das 16 hs da tarde. O que acha, neste meu caso? Obrigado!

    • Oi, Rodrigo. Tem guarda-volumes (ao menos tinha, em maio de 2016), nos guichês de cada companhia. Talvez seja bom você mandar um email para eles para confirmar.
      Como está a sua programação deste dia? Vai chegar cedo em Ollanta?

      • Oi Gê! Não vou chegar cedo em Ollanta. Neste dia eu sairei de Cusco para o passeio do Vale Sagrado. Estou vendo que, em geral, chega-se a Ollanta por volta de 15 hs Às 16 hs. Mas, por outro lado, tem Chinchero, que as escursões deixam para depois de Ollanta. Duas opções que vi foram 1) abandonar a escursão já em Ollanta ou 2) prosseguir até Chinchero, completando a excursão pro Vale Sagrado, e de lá pegar um taxi e voltar pra Ollanta para pegar o trem. Será que valeria a pena qual das duas? Chichero vale a pena pra fazer a opção n.2? Estou pensando de marcar o trem de Ollanta para Aguas Calientes Às 19:30 hs, pela Inca Rail, que sai mais barato; e já comprar antecipadamente em Custo o ingresso para o ônibus para subir de Aguas Calientes a MP (pra ganhar um tempinho), dando tempo de fazer tudo pelo Vale Sagrado. Mas fico ainda preocupado pelo fato de que o trem vai chegar tarde a Aguas Calientes, e o propósito é acordar bem cedo no dia seguinte… Mas acho que assim ainda está sendo a melhor opção. O que vc acha? Desculpe tantas dúvidas, mas é que irei com minha mãe de 67 anos, e fico preocupado com o fator cansaço. Obrigado!

        • Imagina, Gustavo, pode perguntar à vontade.
          O cansaço é algo a se considerar mesmo! O tal do soroche não é brincadeira e se estiver calor, então…
          O bom mesmo seria se você achasse uma excursão que deixasse Ollanta por último, como a gente fez (mas no nosso caso, a gente contratou um guia privado).
          Entre Ollanta e Chinchero, sem dúvidas eu fico com Ollanta. E como Ollanta foi nossa última parada, eu achei bem corrido, porque teríamos que pegar o trem das 16 e pouca… Mas como a gente voltaria no trem da noite, tive que fazer essa escolha porque queria ter vista da paisagem na viagem de trem. Dá uma olhadinha no nosso post sobre Chinchero (veja outros blogs também) para analisar se você acha que vai valer a pena o deslocamento de táxi de volta para Ollanta, tanto financeiramente, quanto “cansativamente”…

  12. Pingback: Onde comer barato em Cusco: Restaurantes com menu turístico

  13. Assino embaixo em tudo o que foi falado no post =) Já fui duas vezes e tá completíssimo o texto.

    Só divido um ‘porém’ com vocês… em 2014 eu acabei indo em agosto e estava LOTADÍSSIMO. Comprei em Aguas Calientes a entrada para 4 dias DEPOIS e me falaram ‘não, de boa, pode entrar’… Ninguém conferiu a data! Obviamente estão passando do limite de 2500 pessoas/dia na alta temporada e degradando o lugar, que é maravilhoso =/ uma pena!

      • Oi Gê,
        Voltei ontem de lá e realmente passamos mais calor do que frio. Tinha levado roupas térmicas, touca, jaqueta corta vento mas o que mais usei foram camisetas, mesmo o friozinho de Cusco de manhã cedo é suportável com uma simples camiseta agora em setembro.Estávamos sentados na praça de Aguas Calientes no final da tarde, tomando um sorvete bem gelado e discutindo a temperatura quando não acreditamos no que vimos… o termometro da Prefeitura estava marcando 14 graus que mais pareciam 25 graus daqui do sul do Brasil.

        • Oi, Fernando.
          Muito obrigada por vir compartilhar.
          A gente também notou o termômetro marcando uma temperatura bem menor do que parecia fazer… Vai entender!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Theme developed by TouchSize - Premium WordPress Themes and Websites

Assine nossa newsletter

Receba um e-mail mensal com a relação dos posts publicados no mês e outras novidades!
Seu Email
Secure and Spam free...
"Customized Theme" by: AZEVEDO.MEDIA