Página inicial / Brasil / Porto Alegre: a cidade do paralelo 30°

Porto Alegre: a cidade do paralelo 30°

porto alegre

Porto Alegre ainda não é uma cidade tão turística. A maioria das pessoas que vai a lazer para POA, como é chamada, está apenas de passagem para a Serra Gaúcha, especialmente Gramado. Nós quisemos descobrir o que há de interessante na cidade e ficamos dois dias inteiros, antes de seguirmos viagem para Cambará do Sul.

A mais meridional das capitais brasileiras é banhada pelo Lago Guaíba, o rio que não é rio (post sobre isso em breve). São 72 km de orla e 496 km² de área, onde são oferecidos passeios de barco e onde a galera dos esportes aquáticos treina.

Com um área de quase 500 m², é a quinta cidade mais populosa do país, com quase 1,5 milhão de habitantes. Cortada pelo paralelo 30°, tem esse fato explorado pela Secretaria de Turismo, que estampa em seu mapa turístico o slogan “Cruzando o paralelo 30°”.


Para os viciados em internet, há várias áreas da cidade com Wi-Fi gratuito, como no Mercado Público, na Usina do Gasômetro e nos parques Moinhos de Vento e Farroupilha.

Um pouco da História

A cidade foi fundada em 1772 com o nome de Freguesia de São Francisco de Porto dos Casais, já que foram enviados vários casais açorianos para lá com o intuito de povoá-la. Mais tarde, passou a se chamar Nossa Senhora da Madre de Deus de Porto Alegre. A região foi palco de muitas batalhas entre portugueses e espanhóis. Mas a principal revolta da região foi a Guerra dos Farrapos, na qual os gaúchos lutavam pela independência do Império Português. A República Rio-Grandense chegou até a ser proclamada, mas um tratado de paz a devolveu para o Império, em 1845. Após a guerra, a cidade precisou se reestruturar e o sucesso de seu desenvolvimento muito se deve à atividade portuária.

Usina do Gasômetro

Usina do Gasômetro, no finalzinho da tarde

Quando ir

Não há época ruim para ir a Porto Alegre, pois as chuvas são bem distribuídas durante o ano. Os meses mais chuvosos são setembro e junho. Nós ficamos dois dias em julho: um de lindo céu azul e o outro com chuva o dia todo. A temperatura média nos meses de inverno é cerca de 15ºC e no verão, cerca de 24ºC. A umidade é sempre alta, por volta dos 70%.

Veja também: Onde comer em Porto Alegre: Nono Ludovico

Quantos dias ficar

Fique pelos menos dois dias inteiros para conhecer o básico da região. Nós fizemos isso: chegamos numa sexta à noite e ficamos o sábado e o domingo na capital, seguindo viagem na segunda de manhã. Deu para fazer quatro passeios, que detalhamos em outros posts.

Porto Alegre: roteiro a pé pelo Centro Histórico
Porto Alegre: passeio de barco pelo Lago Guaíba
Porto Alegre: domingo do Parque Redenção
Porto Alegre: passeio pelo bairro Moinhos de Vento

Onde ficar

O Centro é a região mais barata e tem alguns restaurantes e muitos hotéis (nós ficamos aqui). Dá para ir a pé para o Centro Histórico, para o Mercado e para o local onde começa o passeio de barco da Cisne Branco. Foi onde nos hospedamos. Contudo, como todo centro de cidade grande, à noite fica bem deserto.

A Cidade Baixa faz divisa com o Centro, também dá para ir à pé. O Parque Farroupilha está bem próximo. Tem mais restaurantes que no Centro e mais hostels do que hotéis. É um bairro bom para quem quer curtir a noite.

A gente passeou a pé pelo bairro Moinhos de Vento e nos pareceu ser bastante agradável. É onde estão os hotéis com mais estrelas.

Entre esses dois bairros está o Bom Fim, também pertinho do Parque Farroupilha.

Pesquise aqui seu hotel em Porto Alegre

Viaduto Otávio Rocha, no Centro Histórico

Viaduto Otávio Rocha, no Centro Histórico

O que fazer

Nós fizemos passeios a pé pelo Centro, tanto pela parte alta, quanto pela “rua da Praia”, e pelo bairro Moinhos de Vento. Também fomos ao Parque Farroupilha em um domingo, ver a feirinha e fizemos um passeio de barco pelo Lago Guaíba. Como tem muita coisa para falar desses passeios, falamos em posts específicos. É só clicar nos links acima.

Mas, além disso, há atrações que não visitamos como a Fundação Iberê Camargo, com exposições de arte permanentes e temporárias, o Museu de Ciência e Tecnologia da PUCRS, número 1 do Tripadvisor e a Arena do Grêmio e o Estádio Beira Rio, para os que gostam de futebol. Veja aqui informações sobre as visitas guiadas aos dois estádios.

Veja também: Onde comer em Porto Alegre: Restaurante Copacabana

Ônibus turístico

Existe um ônibus turístico que percorre os principais pontos da região em duas linhas.

A primeira é a Centro Histórico, que funciona de terça a domingo, com saídas do Terminal da Linha Turismo (na Secretaria de Turismo, Travessa do Carmo, 84 – Cidade Baixa) de hora em hora, sendo a primeira viagem às 9h e a última às 16h. Os outros pontos de parada são no Parque Farroupilha, Parque Moinhos de Vento, Mercado, Usina do Gasômetro e Fundação Iberê Camargo. O número de desembarques no dia é ilimitado e o turista pode começar o passeio de qualquer ponto de embarque, desde que já tenha o ingresso (o ingresso não é vendido nos ônibus). Veja outras informações e onde comprar o seu ingresso aqui.

A segunda linha é a Zona Sul, que não possui paradas. É apenas para contemplação. Há saídas de terça a domingo, na Secretaria Municipal de Turismo (Travessa do Carmo, 84 – Cidade Baixa), às 10h e às 15h, sendo que no horário da manhã somente se houver 10 passageiros. O ingresso é comprado no ponto de embarque. Veja aqui outras informações e qual o itinerário desta linha.

O valor de cada um dos passeios é R$25,00 de terça a sexta e R$30,00 aos sábados, domingos e feriados.

Catedral Metropolitana

Catedral Metropolitana

Informações turísticas

Porto Alegre dispõe de um telefone para informações turísticas: 0800 517686.

O site oficial de turismo é: www.portoalegre.travel

Além disso, há Centros de Informações Turísticas (CIT) em vários endereços.

CIT Linha Turismo
Tv. Do Carmo, 84 – Cidade Baixa
Fone: (51) 3289.0176
Diariamente: das 8h às 18h

CIT Mercado do Bom Fim
Av. Osvaldo Aranha, s/n – Loja 11 – Parque Farroupilha (Redenção)
Diariamente: das 8h30 às 18h

CIT Aeroporto Internacional Salgado Filho
Av. Severo Dulius, 90010, térreo – São João
Diariamente: das 8h às 22h

CIT Centro Histórico
Mercado Público Central – Loja 99, térreo – Centro Histórico
De segunda a sábado: das 9h às 18h

CIT Usina do Gasômetro
Av. Pres. João Goulart, 551 – Centro Histórico
De terça a domingo: das 9h às 18h

POINT – Ponto de Orientação e Informação Turística
POINT Vinum Enoteca
Rua Marques do Herval, 52 – Moinhos de Vento
De segunda a sábado, das 9h às 22h.

POINT Pousada do Parque
Rua Antenor Lemos, 32 – Menino Deus
Diariamente, das 9h às 18.

POINT Aerolíneas Argentinas
Av. Senador Salgado Filho, 267 – Centro Histórico
De segunda a sexta, das 9h às 13h e das 13h30 às 18h.

Continue nos seguindo para ver mais dicas de viagem! Assine nossa newsletter para ser avisado por e-mail toda vez que um post novo for publicado.

 

Compartilhe com seus amigos!

Receba as novidades do blog no seu e-mail:  
Programando sua viagem?
Utilize nossos parceiros. Você não paga nada a mais por isso, mas a gente ganha uma pequena comissão. Se o blog te ajudou de alguma forma, é uma maneira de nos ajudar a mantê-lo.

Reserve hotéis no Booking: A maioria das acomodações não pede pré-pagamento e permite cancelamento gratuito.
Alugue um carro na Rentcars: Cote em dezenas de locadoras, parcele em até 12 vezes e pague em reais, mesmo para aluguel no exterior.
Compre Seguro Viagem com a Seguros Promo:  Compare preços e planos em mais de 10 seguradoras. Viaje com assistência médica e odontológica, seguro bagagem e atendimento 24h! Usando o código MINEIROS5 você tem 5% de desconto!
 

5 comentários em “Porto Alegre: a cidade do paralelo 30°

  1. Pingback: Porto Alegre: passeio de barco pelo Lago Guaíba - Mineiros na estrada

  2. Meu nome é Sérgio (Chê), sou natural de Recife-PE, estou morando em Guaíba-RS. a 06 meses. Morar no sul é como descobrir outro Brasil, adoro viajar de moto, conheço algumas cidades do nosso imenso e belo país, mas o Paralelo Trinta é realmente místico.Porto Alegre tem pontos turísticos e historias maravilhosas para ser conhecidas.Paisagens, Rios e outras belezas naturais únicas.Além de ser próximo de fronteiras como Uruguay, Argentina, Paraguai, para mim é o que mais me prende.Abraços a todos.

  3. Pingback: Como organizar a sua viagem para Cambará do Sul, a terra dos cânions » Mineiros na estrada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Theme developed by TouchSize - Premium WordPress Themes and Websites
shares

RECEBA AS NOVIDADES NO SEU E-MAIL

Inscreva-se na nossa newsletter! São só dois ou três e-mails por mês e não mandamos spam!
Seu Email
Secure and Spam free...
"Customized Theme" by: AZEVEDO.MEDIA